Pages

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Lixo: um problema de todos nós

Tornou-se frequente reportagens sobre terríveis enchentes em diversas cidades do Brasil. E a principal causa apontada por especialistas é o acúmulo de lixo em nossas ruas. Isso nos leva a pensar no hábito que os brasileiros têm de jogar lixo em locais indevidos.O aumento da população é diretamente proporcional à produção de dejetos. O celerado crescimento da população mundial tem preocupado estudiosos do mundo todo, levando-os a diversas conclusões sobre os principais responsáveis pelos lixos espalhados pelos patrimônios públicos.
As gerações anteriores não se preocupavam com o tratamento adequado do lixo. E mesmo com o atual estágio civilizatório, esse pensamento perdura em seus subconscientes. Tomam como certo sujar ruas por que existem pessoas com a função de limpar suas sujeiras. Além de um pensamento egocêntrico, é também uma clara prova de que a educação de um povo tem ligação direta com o modo de tratar seu lixo.
Aquela frase que se ouve quando criança, não é levada a sério na fase adulta, pois “fazer o bem sem olhar a quem” pode ser aplicado ao meio ambiente também. O mau hábito dos brasileiros em relação ao seu lixo contraria a ideia de sustentabilidade do planeta. Um cálculo chamado Pegada Ecológica apontou que, nesse ritmo, em 2030, precisaremos de duas Terras para suprir nossas necessidades.
O problema da população em geral está naquele pensamento de que “isso não é problema meu”. O que nenhuma geração – tanto a atual quanto a passada – percebe é que em pouco tempo o problema que não era de ninguém se tornará problema de todos. Então será tarde demais para fazer sua parte.

Antônia Nádia, 2011.

Nenhum comentário:

Postar um comentário