Pages

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Arthur imaginou alguém esperando por ele naquelas cadeiras desconfortáveis de aeroporto, com os cotovelos apoiados nos encostos laterais da cadeira, uma cascata de cabelos castanhos caída entre os ombros. Lendo uma revista com as pernas cruzadas uma sobre a outra, esticando o jeans da calça. Afrouxando o lenço no pescoço e levantando o olhar a sua procura.Ele concentrou-se em sair da tumultuada sala de desembarque. Seu pescoço estava tenso por causa do longo tempo que passara na mesma posição durante o vôo e suas roupas tinham aquele cheiro de ambiente fechado do avião. Ele caminhou até a esteira e viu as alças de sua mala passando. Logo já estava passando pelas portas de vidro automáticas do LAX e pôde respirar o ar de Los Angeles. O ar estava fresco e vivo, mas saudável de alguma maneira, diferente do ar úmido e gelado do avião. O céu estava num tom azul-celeste, sem nuvens no horizonte. Tudo parecia novo e limpo – até mesmo o estacionamento de táxis para onde se encaminhava. 
Ele estava em casa novamente.
Tinha que admitir que, mesmo não gostando de LA durante a noite, a cidade possuía um clima agradável. E ainda que não houvesse ninguém esperando ansiosamente por sua chegada, não havia um lugar onde ele quisesse estar mais do que o seu lar.
Nem percebeu que havia parado na frente de um táxi, até o taxista ter estalado os dedos na frente do seu rosto. Perguntara se queria ir a algum lugar, com um aceno de cabeça Arthur confirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário