Pages

sábado, 12 de outubro de 2013

Você é incrível

"Voltei à realidade sem pressa, como quem mergulha numa banheira com água fria. O insistente tilintar que vinha do meu celular anunciava o início de um novo dia. O relógio não chegava a marcar mais do que cinco horas da madrugada e o céu, além das paredes do meu quarto, deveria estar escuro, ainda com algumas estrelas. Porém, já estava acostumada a acordar neste horário, enquanto o restante da casa dormia. Na minha juventude, também era assim. 

Desliguei o despertador e levantei da cama, esticando-me preguiçosamente. Tinha tempo; por isso gostava de acordar cedo, para fazer as coisas bem lentamente. O chão estava frio e eu agradecia à chuva no meio da noite por ter derrubado um pouco a temperatura do ambiente. Pensando nisso, caminhei até a cozinha e coloquei água para ferver. 

Ao mesmo tempo em que a água esquentava, voltei ao quarto para pegar toalha, sabonete e meu roupão. Fui até o banheiro e tomei o primeiro banho do dia. A água escorria gelada pelo meu corpo quente. Vovó dizia que isso fazia mal, mas eu sempre gostei do arrepio frio causado pelo choque térmico. Terminando, voltei a cozinha bem enrolada no roupão. A água estava no ponto e comecei a preparar o café da manhã. 

Uma xícara grande, uma média (com cappuccino) e duas pequenas (uma de leite e outra de café com leite). Senti o cheiro do desjejum chegar ao meu nariz pelo vapor que subia das xícaras e lembrei de agradecer, obrigada, Deus, pelo pão nosso de cada dia. Peguei o celular, o relógio digital dele marcava quase seis horas da manhã. Estava na hora de acordá-los. 

Primeiro a caçula, que sempre era a primeira a ser acordada e a última a levantar, depois o mais velho – a diferença de idade entre eles era de minutos, apenas. A porta aberta de uma vez e a lâmpada brilhando no teto eram seus despertadores, mas eu tinha esperanças de que um dia eles conseguissem acordar por conta própria. Talvez nesse dia, teriam finalmente crescido, e eu os perdido para o mundo, para a vida. 

E por último, o arrebatador do meu coração. A fruta mais difícil de ser colhida ele colheu, minha alma. As cicatrizes mais profundas ele sarou, minhas dores. A ruga mais feliz no meu rosto ele causou, meu sorriso. A estrada mais perigosa ele percorreu, nossa vida. O presente mais perfeito que eu podia ganhar ele me deu, nossos filhos. Aquele mesmo menino que um dia foi apenas o meu melhor amigo... Eu o estava acordando agora. 

Deitado na nossa cama, ele grunhiu sonolento. Não é fácil acordar para enfrentar os caminhos do dia-a-dia, mas é preciso. Primeiro a luz da lâmpada, depois a minha voz a lhe chamar e só então aqueles olhos, que sempre me fascinaram, se abriram. Os longos cílios batendo rapidamente enquanto ele piscava, tentando se acostumar com a claridade do quarto iluminado. Por fim, as palavras de bom dia. 

Não há palavras para descrever o quão feliz eu sou. Ele sai para banhar-se, enquanto eu visto-me para trabalhar. As crianças devem estar rolando pela cama, confirmo isso quando passo por lá novamente, para chamá-las pela segunda vez. Então levantam-se sonambulas para se prepararem para ir a escola. 

À mesa, tomando café, vejo-os alheia ao momento. Os três exibem, mesmo que cansados e preguiçosos, sorrisos entre seus cereais e bolos e, por dentro, eu transbordo de felicidade. Os caminhos foram diferentes, mas no fim, cheguei à felicidade. A dor na hora do parto de gêmeos, não superou a alegria de tê-los em meus braços. Suportar dia após dia as manias e exigências do meu marido só me faz achá-lo a cada dia mais incrível. 

Subitamente, lembrei de um certo dia, na minha adolescência, quando escrevi numa foto algumas palavras improvisadas e dei a ele. A última frase guiando minha vida: 'E você me deixa tão leve, feliz e completa que nem sei como consegui, outrora, viver sem você na minha vida... Você é incrível!'” - Ann Vinyso

sábado, 17 de agosto de 2013

"Nossos corações não estavam conectados, apenas andavam lado a lado." - Ann Vinyso
"Eu não quero conversar com ele. Não quero poder vê-lo por vídeo conferência. Não quero ouvir sua voz pelo telefone. Eu quero ele aqui, presente, em carne e osso." - Ann Vinyso
"E o condenado à forca tece a própria corda!" - Pedro Bandeira
"Seja gentil, pois cada pessoa que você conhecer pode estar enfrentando uma batalha mais árdua." - Platão
"Você nunca perde amando. Sempre perde deixando de amar." - Barbara de Angelis
"O importante na vida é como tratamos uns aos outros." - Hana Ivanhoe
"O maior presente é um pedaço de você mesmo." - Ralph Waldo Emerson
"O amor é a dificílima percepção de que algo além de nós mesmos é real." - Iris Murdoch
"Experiência: a mais brutal das professoras. Mas você aprende, meu Deus, como aprende." - C. S. Lewis
"Deveríamos tomar cuidado para tirar de uma experiência apenas a sabedoria que ela contém." - Mark Twain

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

E se eu me afastar de você é porque não encontrei outra forma de te esquecer. - Ann Vinyso
O tédio te faz reler até os livros mais maçantes! - Ann Vinyso
"Busque em cada dia de sua vida um novo jeito de sorrir e nunca deixe que pessoas ou sentimentos te façam sofrer. Pois na vida existem duas coisas importantes: o MOTIVO e o MOMENTO, e você pode ter várias vezes o mesmo Motivo, mas nunca terá o mesmo Momento."
"Amizade é quando você encontra uma pessoa que olha na mesma direção que você, compartilha a vida contigo e te respeita como você é. Uma pessoa com a qual você não precisa ter segredos e que goste até dos seu defeitos. Basicamente, é aquela pessoa com quem você quer compartilhar os bons momentos e os maus também." - Renato Russo